A Polícia Civil está conduzindo uma investigação sobre a morte de uma criança de 4 anos que deu entrada na Unidade de Pronto Atendimento de Coronel Fabriciano sem sinais vitais (MG). O pai da criança, de 30 anos, relatou às autoridades que encontrou a filha desacordada após deixá-la sozinha por aproximadamente 40 minutos.
Segundo o depoimento do pai, a criança, que sofria de paralisia cerebral, foi deixada acomodada em uma cadeirinha enquanto ele saiu para levar a esposa ao trabalho e o outro filho à escola. Ao retornar, ele encontrou a menina inconsciente.
O pai tentou socorrer a criança, mas sem sucesso, então a levou imediatamente para a UPA do bairro Silvio Pereira 2. Os profissionais de saúde na unidade fizeram tentativas de reanimação, mas a menina não respondeu aos estímulos.
O boletim de ocorrência relata que a criança já chegou à unidade sem sinais vitais, com extremidades arroxeadas e presença de vômito no corpo e rosto.
A perícia da Polícia Civil foi acionada e realizou os procedimentos técnicos de investigação na residência do pai da criança. O homem foi detido sob a acusação de abandono de incapaz e encaminhado à delegacia para prestar esclarecimentos, estando acompanhado de advogados.
As autoridades agora estão trabalhando para esclarecer as circunstâncias que levaram à morte da criança e determinar se houve negligência ou outro fator contribuinte. A família está sendo acompanhada pelos órgãos competentes para oferecer apoio e assistência durante esse difícil momento.

Se é Notícia, #tanojornaldopovo