O ex-traficante Fernandinho Beira-Mar, conhecido como um dos maiores traficantes do Brasil, está buscando comprovar sua insanidade mental por meio de um exame solicitado por sua defesa. A alegação é de que as condições vividas na prisão levaram a problemas mentais, segundo seus advogados.
Beira-Mar, capturado em 2001 na Colômbia, já passou por diversos presídios federais desde então, incluindo Catanduvas (PR), Brasília (DF), Porto Velho (RO) e Mossoró (RN). Durante uma audiência, ele afirmou que as mudanças comportamentais são resultado do isolamento imposto nos presídios.
Entre as queixas apresentadas por Beira-Mar está a falta de contato com seus seis filhos biológicos e 11 adotivos. O processo da perícia psiquiátrica está em sigilo, e o advogado do presidiário confirmou a consulta com os profissionais, mas não pôde comentar o caso.
Fernandinho Beira-Mar acumula penas que somam quase 320 anos de prisão por crimes como tráfico de drogas, formação de quadrilha, lavagem de dinheiro e homicídios. Desde 2006, ele está cumprindo pena em um presídio federal, atualmente na Penitenciária Federal de Campo Grande (MS).
Em 2007, a Polícia Federal descobriu que, mesmo sob vigilância, Beira-Mar continuava controlando o fornecimento de drogas para favelas do Rio de Janeiro. Suas principais áreas de atuação são as comunidades de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Em 2019, seu pedido para voltar ao sistema penitenciário do Rio de Janeiro foi negado.
É importante ressaltar que as informações foram obtidas pelo G1 e o processo de avaliação psiquiátrica está em andamento.

Se é Notícia, #tanojornaldopovo