Uma mulher foi vítima de uma terrível tentativa de homicídio em Marialva, no noroeste do Paraná. Ela conseguiu sobreviver a 15 golpes de canivete desferidos pelo seu próprio ex-marido. O crime chocou a cidade e trouxe à tona a urgência de combater a violência doméstica.
O filho do casal, um menino de 11 anos com deficiência, estava presente na casa no momento do ataque contra sua mãe. Desesperado, ele presenciou o terrível episódio e gritava pedindo ajuda, mas o agressor não parou. A mulher, em entrevista à RICtv Maringá, relatou o horror que viveu: “Ele falou: eu vou te matar. Meu filho gritava e mesmo assim ele não parou”.
Após agredir sua ex-esposa, o autor do crime fugiu do local. A filha do casal também revelou que sofria agressões por parte do pai. A vítima, amedrontada e vivendo com medo, relatou que está constantemente em fuga, sem poder retornar à sua casa. Ela se encontra escondida, buscando proteção alternando entre a casa de conhecidos e familiares.
A mulher registrou um boletim de ocorrência contra o agressor e espera que a justiça seja feita. É imperativo que casos como esse sejam investigados e tratados com a devida seriedade pelas autoridades competentes. A violência doméstica é uma realidade triste e precisa ser combatida de forma efetiva para garantir a segurança e a integridade das vítimas.
É fundamental que a sociedade esteja atenta e denuncie qualquer tipo de violência doméstica que presencie ou tenha conhecimento. As vítimas devem ser encorajadas a buscar ajuda e proteção, sabendo que não estão sozinhas nessa luta. A conscientização e ações efetivas são essenciais para que casos como esse não se repitam e para que as vítimas possam reconstruir suas vidas longe do ciclo de violência.

Se é Notícia, #tanojornaldopovo