Na tarde dessa terça-feira (19), a Polícia Civil de Santos, São Paulo, efetuou a prisão de um homem de 44 anos sob a suspeita de ter matado sua própria filha, de apenas 9 anos. Segundo informações da corporação, o indivíduo asfixiou a criança, identificada como Luíza Marques Cardoso, após descobrir que sua ex-companheira havia iniciado um novo relacionamento.
As investigações revelaram que Luíza vivia uma semana na casa do pai, identificado como Gilberto Alves Cardoso, e outra na da mãe, Lucinela Marques, devido à guarda compartilhada. O casal se separou há cerca de oito meses, após um casamento que durou quase dez anos.
A mãe da criança prestou depoimento e afirmou que havia conversado com Gilberto por mensagens na noite anterior ao homicídio sobre seu novo relacionamento. Ela ressaltou que Gilberto não usou um tom ofensivo ou violento, mas passou a criticá-la ao saber do namoro.
Lucinela relembrou que, na segunda-feira (18), o ex-marido enviou uma mensagem dizendo: “Lu, prometi para a Pituca [apelido da filha do casal] que vamos nos encontrar lá no céu”. Pouco tempo depois, ela descobriu que a filha havia sido morta.
O corpo de Luíza foi encontrado quando ela não compareceu ao ponto de encontro para aguardar o transporte escolar. Preocupado, um tio da menina decidiu averiguar o que havia acontecido e, ao entrar na residência onde a criança vivia com o pai, em Carapicuíba, se deparou com o corpo sobre uma cama.
Exames realizados no corpo confirmaram que a causa da morte foi asfixia. A partir desse momento, as autoridades iniciaram a busca por Gilberto, que já era considerado foragido. Ele foi preso ao desembarcar na rodoviária de Santos, por volta das 17h dessa terça-feira, após a Polícia Civil de Carapicuíba informar sobre sua viagem.
O caso continua sob investigação e mais detalhes devem ser divulgados em breve.
Fonte: Metrópoles

Se é Notícia , #tanojornaldopovo