Após 52 dias de intensos trabalhos, as forças de segurança do Paraná encerraram neste sábado (22) a operação de ajuda ao Rio Grande do Sul. Durante esse período, foram resgatadas 1.220 pessoas e 552 animais, além de diversas atividades realizadas em apoio às comunidades afetadas pelas fortes chuvas.
Os últimos 11 integrantes da força-tarefa de resposta a desastres do Corpo de Bombeiros e 30 policiais civis do Paraná que ainda estavam em missão retornaram neste fim de semana para suas bases.
A estrutura e o preparo dos servidores paranaenses foram fundamentais para o sucesso da operação, que contou com a participação de bombeiros militares, policiais militares, policiais civis, policiais científicos e cães de busca e resgate. A quantidade de servidores que se disponibilizaram para prestar apoio ao Rio Grande do Sul demonstra o compromisso do Paraná com o próximo, destacou o secretário de Segurança Pública, Hudson Leôncio Teixeira.
Durante a operação, as equipes atuaram em várias fases, desde o resgate de pessoas em situação de risco até a ajuda humanitária e a busca por pessoas desaparecidas. As cidades inundadas pelas chuvas foram atendidas com agilidade e eficiência pelas equipes do Corpo de Bombeiros Militar do Paraná.
A força-tarefa do CBMPR, composta por 120 bombeiros militares voluntários, foi fundamental para o sucesso da operação. Após um curso de capacitação, esses bombeiros ficam de sobreaviso durante um ano para serem mobilizados em operações especiais e de grande porte.
A Polícia Científica também desempenhou um papel importante, realizando perícias e contribuindo com insumos e recursos para auxiliar os trabalhos no Rio Grande do Sul. A Polícia Civil enviou uma equipe de policiais de diferentes divisões para reforçar a segurança pública e prestar apoio na busca por vítimas e na distribuição de suprimentos.
Já a Polícia Militar atuou em terra, água e ar, com patrulhamento preventivo e auxílio às comunidades em regiões de difícil acesso. O helicóptero do Projeto Falcão, equipado com tecnologias avançadas, foi utilizado para operações aéreas de grande importância.
O Paraná foi o primeiro estado a enviar ajuda às forças de segurança gaúchas, demonstrando solidariedade e prontidão para auxiliar em situações de emergência. A operação foi um sucesso graças à dedicação e comprometimento dos servidores envolvidos, que trabalharam incansavelmente em benefício da população afetada pelas enchentes.
As autoridades paranaenses permanecem em contato com as autoridades do Rio Grande do Sul para garantir que todas as necessidades sejam atendidas e que a recuperação das áreas afetadas ocorra de forma segura e eficiente.
Fonte: Obemdito

Se é Notícia , #tanojornaldopovo