A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) prendeu temporariamente um homem suspeito de cometer um crime de roubo e estupro contra uma travesti. O crime ocorreu em março deste ano, quando a vítima foi rendida em uma parada de ônibus no Lago Oeste e levada para um matagal.
Durante o ato violento, o criminoso percebeu que a vítima era uma transexual e passou a agredi-la de forma brutal, apertando e puxando seus testículos e pênis. O crime foi solucionado por investigadores da 35ª Delegacia de Polícia (Sobradinho 2) em abril, mas só foi divulgado recentemente.
No momento do crime, a vítima estava voltando da faculdade de ônibus e desembarcou no bairro do Grande Colorado. Ela cruzou com o agressor enquanto caminhava pela passarela e chegou a dar uma informação quando questionada sobre a localização da parada mais próxima.
Quando ambos estavam esperando pelo ônibus, o agressor agarrou a vítima por trás e a ameaçou com um estilete no pescoço. Ele a obrigou a realizar sexo oral nele e, em seguida, ordenou que ela se levantasse e o abraçasse, como se fossem namorados. Depois disso, ele a levou para um matagal próximo à via de acesso ao Lago Oeste.
No local, a vítima foi forçada a praticar sexo anal, mas quando o criminoso percebeu que ela era uma travesti, passou a agredi-la com tapas no rosto e na cabeça, ao mesmo tempo em que puxava seu pênis e testículos, proferindo ofensas homofóbicas.
A prisão temporária do suspeito foi realizada pela PCDF e as investigações continuam para apurar todos os detalhes do crime. É importante ressaltar que casos de violência e discriminação contra a comunidade LGBT+ são crimes graves e devem ser denunciados para que os responsáveis sejam punidos conforme a lei.
Fonte: Terceira Opnião

Se é Notícia , #tanojornaldopovo