Uma história de violência e crueldade chocou a cidade de Salvador no último sábado (29). Um menino de apenas sete anos perdeu a vida após tentar proteger sua mãe das agressões do padrasto. O caso, que deixou a população consternada, teve desdobramentos trágicos ao longo dos dias.
Segundo informações, a criança, identificada como Arthur da Luz Santos, foi esfaqueada pelo padrasto e levada às pressas para o hospital. Apesar dos esforços da equipe médica, o pequeno Arthur teve morte cerebral nesta quarta-feira (3), deixando familiares e amigos em profundo luto.
A mãe do menino, Mariza da Luz Santos, de 30 anos, também não resistiu às agressões e veio a óbito no mesmo dia do ocorrido. O suspeito do crime foi preso em flagrante pelas autoridades, que foram acionadas após receberem relatos de um homem sendo espancado pela comunidade.
De acordo com a Polícia Militar, ao chegarem ao local, os agentes foram informados de que o homem havia esfaqueado sua companheira e o enteado, além de ter colocado seu próprio filho, um bebê de apenas um mês, em um balde de água. Em uma tentativa ainda mais perturbadora, ele abriu o gás de cozinha na intenção de intoxicar o bebê antes de fugir.
Felizmente, o bebê foi socorrido a tempo, já recebeu alta hospitalar e está sob os cuidados de familiares. A comunidade local está unida em apoio à família enlutada, enquanto aguarda por justiça e medidas para prevenir tragédias como essa no futuro.
As investigações sobre o caso seguem em andamento, buscando esclarecer todas as circunstâncias e responsabilidades envolvidas. A violência doméstica é uma realidade triste que precisa ser combatida, e episódios como esse nos alertam para a necessidade de mais proteção às vítimas e ações efetivas de prevenção.
Neste momento de dor e consternação, expressamos nossas condolências à família e amigos de Arthur e Mariza, esperando que encontrem forças para superar essa tragédia e que a justiça seja feita.

Se é Notícia , #tanojornaldopovo