Uma mulher grávida teve seu bebê perdido após ser vítima de uma terrível agressão por parte de seu namorado em Almirante Tamandaré, na Região Metropolitana de Curitiba. A vítima, que preferiu manter sua identidade em sigilo, revelou em uma entrevista à RICtv que, mesmo após o término do relacionamento, continua sofrendo ameaças e agressões por parte do suspeito. Atualmente, ela está vivendo escondida na casa de amigos, com medo de represálias.
De acordo com o relato da vítima, durante os dois anos em que conviveu com o agressor, ele aparentava ser o parceiro ideal e uma pessoa com quem poderia construir uma família. No entanto, com o tempo, o suspeito revelou uma personalidade violenta, que culminou em uma série de agressões. Infelizmente, as agressões foram tão intensas que resultaram na perda do bebê durante a gravidez.
Após decidir terminar o relacionamento, a vítima passou a ser alvo de ameaças por parte do agressor. Segundo seu relato, ele chegou a ligar por chamada de vídeo, mostrando uma arma, aterrorizando-a ainda mais.
A situação se agravou quando o suspeito invadiu a casa da vítima, onde a agrediu repetidamente e tentou estuprá-la. Em um relato angustiante, a mulher descreveu o terror que viveu: “Ele entrou em casa e tentou forçar relações comigo. Eu dizia que não queria, mas ele continuava me agredindo. Eu dizia que não queria, então ele tentou me tocar e eu disse: ‘Isso é estupro’. Ele respondeu: ‘Não é estupro, você é minha mulher’. Felizmente, meu padrasto chegou em casa e ele fugiu”.
No entanto, horas depois, o agressor retornou à casa da mulher, desta vez acompanhado de dois comparsas, que vandalizaram todo o local. A vítima foi novamente agredida, enquanto o ex-namorado tentava forçar relações com ela.
Diante desses episódios de violência extrema, a mulher denunciou o caso à polícia e está vivendo escondida na casa de amigos, temendo por sua segurança. O agressor deixou claro que não se importa com nada nem ninguém, e está determinado a tê-la de volta a qualquer custo.
É fundamental que casos como esse sejam levados a sério pelas autoridades competentes, de forma a garantir a proteção da vítima e a punição do agressor. A violência doméstica e o feminicídio são problemas graves em nossa sociedade, e é necessário que sejam tomadas medidas efetivas para combater essa realidade perturbadora.
A vítima, assim como todas as mulheres que sofrem violência, precisa de apoio e suporte para reconstruir sua vida e superar o trauma vivenciado. É importante que as pessoas ao redor estejam atentas a possíveis sinais de violência e ofereçam ajuda quando necessário.
A luta contra a violência doméstica é responsabilidade de todos nós. Precisamos nos unir para criar uma sociedade onde as mulheres sejam respeitadas e protegidas, livres de qualquer forma de violência.

Se é Notícia , #tanojornaldopovo